domingo, 20 de dezembro de 2009

SC Arcozelo vs SC Dragões Sandinenses


Vitória sofrida, conquistada no final do encontro, por vezes são as vitórias mais saborosas.
É sempre um prazer defrontar cavalheiros da bola (esta é pra ti Stam) - Amigos da Bola nunca se esquecem.
FORÇA MALTINHA

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Relacionamento - Motivação - Auto-Estima no futebol


Desenvolvimento pessoal e social do jogador de futebol

A diferença já não está nos segredos tácticos ou nas estratégias infalíveis, hoje mais que nunca, sabe-se que os aspectos físicos a ditar o curso dos resultados, mas por outro lado e não menos importante os factores mentais determinam a obtenção dos mesmos. É neste parágrafo que descrevo alguns aspectos de grande importância.

Componentes do relacionamento interpessoal / comunicação

Atitudes
Valores
Normas
Regras
Solidariedade
Desinteresse (egoísmo)
Coesão e Espírito de equipa
A confiança e respeito mútuos entre elementos da equipa

MOTIVAÇÃO
Em determinadas situações psicológicas, os seus atletas rendem menos. Quando uma atleta sofre um fracasso, ou se encontra perante um ambiente hostil e frágil que se sinta desanimado, desvitalizado, com falta de energia o seu rendimento não é o mesmo. Em contrapartida quando um atleta joga com entusiasmo e com a motivação em alta, o atleta transpira futebol, nutre uma alegria que por vezes é contagiante.

Aspectos que contribuem para o desenvolvimento da MOTIVAÇÃO

Ambição
Motivação
Vontade de vencer
Atenção
Concentração
Humildade
Combatividade e Competitividade
Determinação
Carácter
Postura
Formar a estabilidade psicológica
Capacidade de sofrimento e Resistência psicológica à fadiga
Necessidades comuns
Diferenças Individuais

AUTO-ESTIMA
Auto-estima inclui a apreciação egocêntrica que uma pessoa faz de si mesma como sendo intimamente positiva ou negativa. A auto-estima pode ser construída como uma característica constante de personalidade (traço de auto-estima) ou como uma condição psicológica temporária (estado de auto-estima).

Aspectos que contribuem para o fortalecimento da AUTO-ESTIMA

Auto-estima
Auto-confiança
Auto-controle
Auto-conhecimento
Educar a coragem e dominar o medo
Estabilidade
Atitude positiva
Poder Mental
Persistência
Coragem

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

UD Sousense vs SC Arcozelo


Mais 1 jogo disputado, desta vez contra o actual 1º classificado da Divisão de Honra da AF Porto. Fomos inglórios da forma como perdemos este encontro. O futebol é isto mesmo umas vezes ganha-se outras vezes perde-se. A minha ambição passa por encarar todos os jogos para vencer.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

SC Arcozelo vs SC Canidelo


Frustrado. É o meu sentimento depois deste jogo. Numa tarde sem grande trabalho, no único lance de relativo perigo, facturaram. As derrotas põe a nu muitas coisas, cabe a nós enquanto jogadores dar a volta por cima, disputar cada jogo como se fosse o último, jogar sempre como se de uma final se trata-se, lutar sempre pelos 3 pontos. Alma e Espírito Guerreiro daqui para a frente. Força Maltinha

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

SC Rio Tinto vs SC Arcozelo


Que triste sina a de uma equipa de futebol, 3 jogos 3 penaltis (2 golos - 1 defendido). O jogo deste fim de semana decorreu num mau relvado, onde a pratica de futebol era quase impossível, um clima completamente adverso (chuva, frio e saraiva), digamos que foi um jogo de lotaria, eles conheciam melhor o terreno, adaptaram-se melhor, venceram pela margem mínima. Fomos bravos como nos entregamos ao jogo, não foi nada fácil. FORÇA MALTINHA




segunda-feira, 23 de novembro de 2009

SC Arcozelo vs FC Avintes


Um jogo de futebol sem golos, não tem o mesmo sabor. Mas a minha posição alimenta-se não sofrendo e evitando-os. A vitória podia ter pendido para qualquer equipa, nós balanceados no ataque e eles contra-atacando ferozmente. O futebol tem dias assim. Os meus agradecimentos a todos os que ajudaram nesta batalha.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Pedras Rubras vs SC Arcozelo

O meu baptismo oficial nas redes do SC Arcozelo foi diante o fortíssimo Pedras Rubras. Os meus amigos foram bravos na vitória que alcança-mos pela margem mínima, já no final do encontro, sofremos mas conseguimos dar a volta por cima. Parabéns a todos sem excepção, jogadores, treinadores, diretores, amigos e principalmente a toda a massa adepta arcozelense.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Tributo a Robert Enke

Robert Enke suicidou-se em 10 de Novembro de 2009, com apenas 32 anos, mas as suas defesas nunca serão esquecidas. Uma noticia destas é algo difícil de comentar.

Um amigo de Enke afirmou que ele se encontrava em depressão desde a morte de sua filha, em 2006, e também pelos problemas de saúde que
enfrentou em 2009, que o afastaram dos relvados por algum tempo. A polícia encontrou uma carta de Enke e pessoas ligadas ao jogador confirmaram seu suicídio.

Robert Enke iniciou sua carreira no Carl Zeiss Jena, depois atuou pelo Mönchengladbach, Benfica, Barcelona, Fenerbahçe, Tenerife e Hannover 96, equipa onde era capitão à data da sua morte. Na seleção germânica disputou 8 partidas entre 2007 e 2009. Para nós portugueses recordamos o tempo que passou no SL Benfica (1999-2002). E recordaremos para sempre as suas intervenções e paixão pela baliza. Descansa em Paz Guardião.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

guarda-redes - O EQUILIBRIO



Um ponta-de-lança poderá desferir 10 remates num jogo, dos quais 9 não foram concretizados – ou porque foram defendidos ou saíram ao lado – tendo apenas um resultado em golo. Esse golo pode ser suficiente para determinar a vitória. O guarda-redes pode executar 5 excelentes defesas, mas uma delas foi incompleta, resultando em golo. Esse golo pode ser decisivo para a derrota. O apuro técnico, eficaz e consequente, do guarda-redes deve pois, nesse sentido, ser equacionado com a importância determinante que pode ser capaz de diferenciar a vitória da derrota num breve e único momento do jogo.

Os guarda-redes necessitam de ter um bom jogo de pés, equilíbrio, visão, mãos fortes e técnica. Mas, não chega, para se ser um "fora de serie", tem de ser capaz de jogar fora dos postes, tem de ser capaz de "ler através das bolas", tomar decisões rápidas e passar bem a bola tanto com os pés como com as mãos. Os grandes guarda-redes têm por habito fazer que as grandes defesas pareçam fáceis. Isso não acontece ao acaso. è o conhecimento que deixa o guardião atrair as bolas como um íman.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Psicologia do Desporto

"Psicologia do Desporto: DA FORMAÇÃO À ALTA COMPETIÇÃO"

"A influência de factores mentais no rendimento dos Jogadores e da Equipa",

dias 12 e 19 de Outubro de 2009, das 21:00 às 23:00 com o Psicologo Dany Amorim (Psicólogo e ex-jogador de futebol profissional). Santa Maria da Feira - psicofeira.

Local:

Santa Maria da Feira - psicofeira

Av. 5 Outubro, Loja 16-C

4520-162
Santa Maria da Feira

256 098 457

91 896 58 59

psicofeira@mail.com

www.psicofeira.pt.vu







clique aqui para aceder á ficha de inscrição

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Componentes que influenciam fisicamente o Guarda Redes:


Componentes que influenciam fisicamente o Guarda Redes

Trabalho - Descanso - Trabalho especifico - Nutrição - Prevenção de lesões

TRABALHO:
Trabalhar muito não significa trabalhar bem. Trabalhar sempre em prol da perfeição, correcção e aperfeiçoamento de aspectos técnicos incorrectos.
O Guarda-Redes tem de ser capaz de fazer leituras, tomadas de acção e manter os níveis de concentração altíssimos, em acções de extremo desgaste físico.
O Guarda-Redes deve agir muito rápido, muito forte (força de explosão) se a tomada e o timing de decisão forem errados?! De nada vale o esforço. Esta posição tão específica, obriga a um poder mental e de concentração elevados.

DESCANSO:
O descanso é um dos segredos, pois tem um efeito assombroso não só no corpo mas também na mente de qualquer atleta.
O descanso leva não só ao acréscimo da capacidade física (os músculos aumentam no descanso depois da acção), mas é também um caminho para que o cérebro receba toda a informação que o corpo lhe quer dar.

TRABALHO ESPECIFICO:
O trabalho específico realizado com o guarda-redes deve estar sempre em concordância com o trabalho que vai ser realizado com a restante equipa.
Se técnica ou tacticamente não temos nenhum guarda-redes igual, também fisicamente não temos. Logo o TREINO INDIVIDUAL faz todo o sentido, sendo esta uma posição tão especifica, claro está que não se deve descorar os aspectos colectivos, como o posicionamento defensivo e ofensivo, execução de livres, cantos (bolas paradas), onde cada um tem o seu lugar a ocupar inclusive o guarda-redes.

NUTRIÇÃO:
A qualidade do trabalho realizado no clube que o guarda-redes representa pode perder toda a sua importância se o atleta não levar uma vida de acordo com a sua actividade desportiva.
O trabalho não termina quando o atleta sai do clube. O guarda – redes deve realizar uma vida de qualidade, com alimentação adequada, sem cometer grandes excessos.

PREVENÇÃO DE LESÕES:
Quando falamos de atletas de alta competição estamos a falar de máquinas bem pagas que quando estão lesionadas fazem o clube perder dinheiro e capacidade desportiva. O mesmo não acontece com atletas amadores, contudo o Guarda-Redes deve precaver-se no aparecimento de eventuais lesões:
- Um bom Aquecimento antes de jogos e treinos.
- Arrefecimento – (depois dos treinos, deve fazer-se alongamentos, abdominais, dorsais, flexões, para conduzir o corpo e a massa muscular a recuperar mais rapidamente.
- Massagens em dias específicos. Antes e depois do jogo.
- Descanso
- Nutrição
- Vida social, (descansar pouco e excesso de álcool veiculam as lesões).

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

JOGO INVISÍVEL


JOGO INVISÍVEL

- Evitar sofrer golos

- Escolher a posição correcta para enfrentar acções de jogo (Remates, centros).

- Decidir se deve jogar mais fora ou dentro da sua área protegida e saber o momento certo para sair se essa for a decisão, basculando com os movimentos da equipa e rotinas da equipa.

- Iniciar correctamente o jogo: Nas acções de posse e distribuição deve saber definir a forma correcta de o fazer, tal como, o timming adequado, distribuir com a mão ou com o pé, a curta, média ou longa distancia.


O TREINO

O treino à imagem do jogo deve ser feito criando situações identicas às do jogo, obrigando o guarda-redes a responder correctamente as diversas situaçoes, tomada de decisão e realização de perfeitas acções técnico-tácticas, não menosprezando que a CONCENTRAÇÃO.

Situações de pressão com diferentes características de tempo e espaço são um bom caminho para a eficácia! (por exemplo num exercício de meia distancia…obrigar o GR a definir sobre pressão o melhor posicionamento para o lance e assim consecutivamente)

terça-feira, 30 de junho de 2009

Tipos de Guarda-Redes


Tipo Guarda-redes

Existem tipos diferentes de “guarda-redes”, dos quais se destacam os tipos A e R, e que é capital a interacção entre o “homem de Antecipação” e “homem de Reacção” com os jogadores de campo.

Características de um guarda-redes tipo A?

Os atletas tipo A são mais calmos, controlados e confiantes. Envolvem-se no jogo e estão sempre prontos para ajudar os companheiros de equipa, pois procuram adaptar a sua acção à do restante colectivo. Sempre que uma equipa joga adiantada no terreno, o guarda-redes acompanha este movimento subindo no terreno e encurtando linhas. Estes atletas não se confinam ao seu papel “entre postes” e procuram a incorporação no “jogar” do colectivo. Estes guarda-redes são aqueles que mais “pensam e refletem” o jogo, daí o seu nome “Guarda-redes de Antecipação”). Vítor Baia, Buffon, Helton e Beto são guarda-redes tipo A.

Características de um guarda-redes tipo R?

Os atletas do tipo R são fisicamente fortes e muito empenhados no seu trabalho. Além disso, são nervosos e inseguros. Talvez por essa razão, se centrem mais no seu raio de acção, não adaptando o seu modo de jogar ao resto da equipa. Este tipos de guarda-redes não adopta uma dimensão táctica e colectiva, funcionando um pouco “ à parte” dos jogadores de campo, agem por impulsos (Guarda-redes de Reacção). Ricardo, Peskovic, Eduardo, são atletas tipo R.


É necessário realçar que não existem apenas estes dois modelos de guarda-redes. Não se pode certificar que o tipo A é melhor que o tipo B, ou o contrário. O melhor tipo é aquele que, tal como já foi dito, é mais concordante com o “jogar” apresentado pelo colectivo e/ou pretendido pelo treinador.

Xavier Ferreira

Junho 2009

terça-feira, 9 de junho de 2009

Guarda Redes


Guarda-Redes

Num jogador de futebol, a capacidade de decidir no momento, como e quando e da forma como fazemos e interpelamos um lance, marca a carreira desportiva de todos os jogadores, mas principalmente a de um Guarda-redes.

A posição Guarda-Redes é muito diferente dos restantes jogadores numa equipa de futebol, tem uma posição muito especifica dentro do terreno de jogo, trabalha afastado dos colegas, tem de trabalhar debaixo de uma forte concorrência com o colega de posto e tem que aguentar a pressão (trabalhar afincadamente os níveis psicológicos) que a titularidade trás porque tem a noção que quase tudo depende de si, desde a equipa, a sua titularidade que está dependente ou não dos seus erros e os guardas redes são incompreendidos de uma forma geral que é o facto de um grande jogo não ser reconhecido e uma má actuação pode levar ao isolamento, a regularidade é um traço de um Guarda-Redes, não alternar as exibições, ser um elemento constante, em que todos os companheiros de equipa confiem.

O Guarda-Redes tem que uma capacidade Mental fortíssima, a competição entre os guarda-redes pela titularidade pode ser brutal, muitas vezes estão lado a lado no treino tentando fazer melhor que o amigo e companheiro de baliza, com níveis de concentração no máximo tentando fazer tudo perfeito de modo a ser a escolha do treinador principal sabendo que ao conquistar o lugar muito dificilmente será substituído. Muita pressão está nos ombros de uma posição tão carismática e tão agradável exercer, Eu sinto-me realizado ao desempenhar a função de Guarda-Redes, é fascinante.

O Guarda-Redes não deve evidenciar as debilidades psicológicas e sabemos que todos as têm, mas no treino deverá mostrar-se forte e disposto a tudo o que o treinador lhe peça para que o treinador sinta que pode confiar nele, apesar de suplente e estar interiormente descontente deve manter uma atitude positiva e de espírito de grupo, devem deixar de lado os conflitos pessoais para não criar mau ambiente no grupo e sobretudo um guarda-redes suplente nunca deve ter ou criar objectivos impossíveis para não criar insatisfações desnecessárias.

Vivemos na Solidão, mas rejubilo-me da posição que ocupo.

O fascínio de ser Guarda-Redes.

Xavier Ferreira

Junho, 2009